Nesta altura em que todas as atenções estão focadas na epidemia do Coronavírus, era importante aproveitar este entusiasmo para difundir a mensagem de que é possível e altamente aconselhável melhorar as defesas para evitar esta e outras doenças mais graves. É fundamental focarmo-nos também na promoção da saúde e não apenas na doença!

Fala-se no reforço dos serviços e hospitais, mas é também necessário reforçar o mais importante e o que na realidade nos mantém saudáveis: – O Nosso Sistema Imunitário, focar mais na promoção da saúde.

A forma como vivemos, o que comemos e extrema exposição a uma série de factores potencialmente patogénicos, debilita a nossa resposta imunitária tornando-nos mais vulneráveis para doenças e dificulta a recuperação de situações agudas, como infeções por vírus, bactérias e fungos.

Existe assim, um conjunto de medidas, ao alcance de todos, que permite tornar a resposta imunitária mais rápida e eficaz e inteligente.

A alimentação saudável, evitar carências em nutrientes e micronutrientes, reduzir a exposição a tóxicos, dormir convenientemente, controlar os níveis de stresse, praticar atividade física e também adotar atitude positiva, são algumas medidas fundamentais para ficar mais forte e potenciar as suas defesas naturais.

Por um lado, é importante que evitemos o contacto deste, o Coronavirus, e outros vírus tão presentes nesta fase do ano em que a temperatura baixa.

É fundamental evitar o contágio através de medidas simples, já largamente anunciadas e que devem ser sempre adotadas, especialmente nas fases do ano em que mais frequentemente os vírus e bactérias alastram. Estar atento aos grupos de risco, especialmente as pessoas mais velhas e mais vulneráveis, já que o sistema imunológico vai se desregulando, um fenômeno chamado imunossenescência, com a perda progressiva da capacidade de reagir da melhor forma a uma infeção.

E como podemos então melhor a eficiência e desempenho do Sistema Imunitário?

Alimentação

-Comer melhor incluindo maioritariamente alimentos orgânicos, sem químicos, pesticidas, aditivos alimentares e outras substâncias toxicas.
– Incluir muitos legumes, vegetais de muitas cores, gordura saudável, como ovos, óleo de coco, sementes, frutos secos, abacate, peixe gordo do mar, azeite entre outros.
– Beber muita água,
– Tratar do Intestino, excluído caseína, glúten, açúcar e os alimentos que o inflamam.

Modo de vida
Adotar um modo de vida mais ativo e saudável que promova o equilibro físico e emocional, incluindo exercício físico, respiração conveniente, Yoga, meditação entre outras técnicas que visam este equilíbrio e ajudam também a modular o stresse e melhorar a qualidade do sono.

Jejum

Praticar jejum 16 a 18h diária ou 24h por semana promover a autofagia e renovação do sistema imunitário. Os Efeitos da autofagia são impressionantes e funciona como um renascer do seu corpo. O Jejum é um processo metabólico ancestral conservado nas células eucariotas. Em momentos de escassez de alimentos, as células reciclam alguns dos seus componentes, proteínas e organelas celulares defeituosas, degradando-as mediante lipossomas que extraem deles nutrientes para alimentar a célula. Este é um verdadeiro processo de reciclagem que permite à célula obter energia a partir de material velho e danificado, dando lugar a uma célula renovada e limpa e poderoso no equilíbrio da resposta imunitária

Suplementos imprescindíveis no reforço da resposta imunitária:

Vitamina D3
Esta vitamina, já considerada uma hormona, tem inúmeras funções, em níveis sanguíneos ideais, controla mais de 10% dos nossos genes e induz o corpo a produzir catelicidina (LL-37), o nosso antibiótico natural importante no combater a infeções por vírus e batoteira. A Vitamina D atua no reforço da primeira linha da resposta imunitária. Pela extrema importância vitamina D3 deve ser suplementada, uma vez que através da alimentação e exposição solar, é difícil muitas vezes atingir as concentrações sanguíneas necessárias.

Onde encontrar vitamina D3?

Óleo de fígado de bacalhau (1 colher de sopa): 1,360 UI D3
Atum, sardinha, cavala ou salmão cozidos (85 g a 100 g): 200–360 IU D3
Cogumelo shitake (fresco, 100 g):  100 UI D2 (seco, 100 g.): 1600 UI D2
Gema de ovo:  20 UI D3 ou D2
Exposição de corpo inteiro aos raios UVB (15 a 20 minutos no meio do dia no verão, pele clara): 100,000 UI D3,A forma biologicamente ativa de vitamina D, a 1,25D, regula muitos genes, desencadeando a produção de proteínas codificadas por eles. Essas proteínas podem causar efeitos fisiológicos locais ou disseminados.

Como suplementar?

Suplementar com vitamina D3, cerca de 8000 a 10000 UI por dia, de acordo com a concentração da 25OHVItD3 no sangue que deve estar entre os 80 e 100ng/dl. Estava avaliação deve ser feita pelo seu médico.

Outros suplementos imprescindíveis:
– Selénio – 200 microgramas / dia
– Vitamina C – entre 1 a 2 gramas de Vitamina C não ácida
– Probióticos, especialmente formulas com lactobacillus e as bifidobactérias

As pessoas com sistema imunitário mais débil, alguma doença associada ou poli medicamentada, devem recorrer a um profissional de saúde a fim de introduzir a fórmula específica, no sentido de potenciar a resposta imunitária.

A microimunoterapia

A microimunoterapia é uma ajuda muito eficaz no campo da imunoterapia e o seu objetivo é restaurar a eficácia do sistema imunológico, para que ele possa, por si só, lidar com qualquer alteração, nomeadamente infeções por vírus ou bactérias.

Distingue-se pelo uso de substâncias com propriedades reguladoras do sistema imunológico em doses baixas ou ultra baixas, preparadas em concentrações semelhantes ou inferiores às encontradas no organismo, mantendo assim a harmonia com os mecanismos naturais do corpo. É uma excelente opção pela sua eficácia, rapidez e abordagem natural que respeita a fisióloga do organismo, no entanto é necessário acompanhamento por um profissional de saúde formado nesta área.

Outras Substancias interessantes para a melhoria do desempenho do sistema imunitário, especialmente em pessoas com doenças associadas, mais velhas ou muito medicamentadas:
– Factores de transferências
-Extratos ecológicos de cogumelos,
– Equinacea,
– Astrágalos

Alexandra Vasconcelos
Farmacêutica, Naturopata e Fitoterapeuta
Especialista em Medicina Natural Integrativa, Biorressonância e Medicina Bioreguladora.
Pós graduada em Nutrição Oncológica, Nutrição Ortomolecular e Medicina Integrativa e Humanista
Membro de:
ASEPROIM – Associcion Española Profesional en Nutricion y Medicina Integrativa
AEMI – Associacion Española de Microimunoterapia
Associação Internacional de Homeopsinetologia
Autora dos Livros: “ O segredo para se manter Jovem e saudável” e “Jovem e saudável em 21 dias – Programa para reeducar o seu sistema imunitário, prevenir e reverter doenças”
Autora dos Cursos Dharma5 – Jovem e Saudável e BioReset21D
Diretora técnica das Clinicas Viver

Clínicas Viver © 2019 All rights reserved

Boosted by BYD