ENXAQUECA

mulher com enxaqueca
Mulher com enxaqueca. Créditos: Freepik

O que é enxaqueca?

Enxaqueca é uma doença neurovascular que se caracteriza por crises repetidas de dor de cabeça que podem ocorrer com uma frequência bastante variável: enquanto alguns pacientes apresentam poucas crises durante toda a vida, outros relatam diversos episódios a cada mês.

Uma crise típica de enxaqueca é reconhecida pela dor que envolve metade da cabeça, piora com qualquer atividade física e está freqüentemente associada à náusea, vômitos e desconforto com a exposição à luz e sons altos, podendo durar até 72 h.

Um conjunto de sintomas neurológicos, conhecido pelo nome de aura, costuma acompanhar o quadro de dor. Portanto, não se trata de uma simples dor de cabeça.

Como reconhecer a enxaqueca?

Nem sempre o paciente apresenta todos os sintomas típicos de enxaqueca. Entretanto, o médico é capaz de reconhecer a enxaqueca pelo quadro clínico. De qualquer forma, a avaliação médica é fundamental para excluir outras causas de dor de cabeça antes de dar início ao tratamento.

O que é aura?

Aura é o nome que se dá ao conjunto de sintomas neurológicos que, nas crises de enxaqueca, se apresentam geralmente um pouco antes da dor de cabeça. A aura visual é a mais comum. Pode se apresentar como flashes de luz, como falhas no campo visual ou imagens brilhantes em ziguezague. Outros sintomas neurológicos são mais raros.

O que são fatores desencadeantes?

São estímulos capazes de determinar o surgimento de uma crise de enxaqueca nos indivíduos predispostos. Para cada paciente os fatores desencadeantes variam, mas entre eles podemos destacar: estresse; sono prolongado; jejum; traumas cranianos; ingestão de certos alimentos como chocolate, laranja, comidas gordurosas e lácteas; privação da cafeína, nos indivíduos que consomem grandes quantidades de café durante a semana e não repetem a ingestão durante o fim de semana; uso de medicamentos vasodilatadores; exposição a ruídos altos, odores fortes ou temperaturas elevadas; mudanças súbitas da pressão atmosférica, como as experimentadas nos vôos em grandes altitudes; alterações climáticas; exercícios intensos; queda dos níveis hormonais que ocorre antes da menstruação.

É possível evitar as crises?

Sim. A identificação de possíveis fatores desencadeantes das crises é fundamental para obter um melhor controle da doença.

Além disso, os pacientes podem tomar alguns cuidados: distribuir adequadamente a carga de trabalho, evitando acúmulo no escritório e o estresse de levar trabalho para casa; evitar estender o sono além do horário usual de acordar; evitar fadiga excessiva; fazer as refeições em horários regulares e não “pular” refeições; eliminar os alimentos identificados como desencadeantes das crises; reduzir a ingestão de café e chá; evitar o uso de analgésicos sem supervisão médica; evitar exposição a luzes, ruídos e cheiros fortes; não se exercitar em dias muito quentes.

Conhecer e diagnosticar a presença da enxaqueca e de condições coexistentes são passos importantes para o sucesso do tratamento da enxaqueca.

Para os sofredores de enxaqueca é importante: Reconhecer que há duas ou mais condições. Aceitar a necessidade de tratamento dessas condições.
Trabalhar com o médico procurando desenvolver a melhor estratégia de tratamento que se ajuste com seu estilo de vida. Entender que tratar mais de uma condição simultaneamente é complexo e requer maior atenção do médico, mais tempo e cuidado. Muitas opções de tratamento para enxaqueca, cefaleias, dores de cabeça existem. Remédios para dor de cabeça podem ter dois focos principalmente: prevenção e tratamento da crise.

O conceito mais importante do tratamento da enxaqueca é o preventivo, mas quem sofre de dor de cabeça acaba pensando mais nos analgésicos para diminuir ou cortar a dor na hora que ela aparece, e o tratamento muitas vezes não evolui por esta razão, porque a causa da dor de cabeça não foi atingida, e sim apenas a consequência do processo da enxaqueca. As dúvidas sobre os remédios para tratar a enxaqueca ocorrem tanto no tratamento preventivo como agudo.

E onde entra os tratamentos adjuntos, como a Terapia CranioSacral, acunpuntura, alongamentos, exercicio fisico, alimentacao balanceada, meditacoes, onde se trabalha muito a respiracao tambem.

A Terapia CranioSacral (TCS) tem se revelado um instrumento muito valioso no tratamento de dores em geral e, principalmente, no alívio das enxaquecas e cefaléias de causas variadas. Em 3 anos de prática clínica de TCS, temos alcançado resultados extraordinários, com relato de pacientes que já estão sem enxaqueca desde as primeiras sessões.

Hoje se reconhece, de forma definitiva, que as emoções, os estresses da vida atual, os traumas emocionais e/ou físicos, concorrem para o surgimento das doenças.

O tratamento Sacrocraniano entra como preventivo, mas também em crises agudas. Por ser um método totalmente não invasivo e de toques suaves, o organismo nao sente agressividade em nenhum momento da terapia. Obtendo a confiança do terapeuta para que este facilite a ajuda com sucesso na cura holística do corpo.

Marque a sua consulta connosco aqui para saber mais sobre como viver um estilo de vida saudável.

Clínicas Viver © 2019 All rights reserved

Boosted by BYD