nao_vai_ao_dentista_ha_muito_tempoSegundo a OMS, a cárie dentária é um problema grave de saúde pública! Um dente com cárie aumenta muito o risco para aparecimento de uma cárie num dente vizinho.
A cárie é uma infecção que, se não tratada, pode levar mesmo à perda do dente. O melhor tratamento para a cárie é a prevenção.

Hoje em dia, temos ao nosso dispor várias ferramentas que nos permitem testar o grau de risco do paciente vir a ter cáries dentárias.

O índice de CPO é um dos métodos utilizados. Este índice tem em conta a quantidade de dentes cariados, perdidos e obturados que o doente tem e permite calcular a partir dessa avaliação um grau de risco.

A avaliação do pH salivar também é mais um dado importante que devemos medir. Uma saliva mais ácida apresenta um maior risco para se desenvolverem bactérias cariogénicas.

O tipo de alimentos que o doente consome e a crononutrição também nos dão informações bastante preciosas da susceptibilidade do paciente para a cárie dentária. Os hábitos e técnicas de higiene que o doente utiliza são outro aspecto importantíssimo a avaliar.

Hoje em dia, nas clínicas viver dispomos também de métodos não invasivos de bio ressonância que permitem obter informações muito úteis acerca dos diversos problemas na cavidade oral do doente e a influência que essas possíveis patologias poderão ter no resto do seu organismo. Esta técnica permite detectar níveis de acidez e muitos problemas dentários mesmo antes de haver qualquer manifestação.

Nas Clínicas Viver, temos programas específicos para avaliação do grau de risco para as doenças orais, nomeadamente a cárie dentária, que combinam várias ferramentas para que após uma avaliação completa e exaustiva do doente possamos chegar a um grau de risco e alertar o doente para a necessidade de alteração de hábitos e correcção de desequilíbrios de forma a inverter e/ou prevenir as doenças orais.

 

Clínicas Viver © 2019 All rights reserved

Boosted by BYD